Está bem estabelecido que o estresse tem um papel em muitos problemas comportamentais comuns em animais de estimação, bem como em várias doenças prevalentes. O estresse pode ser caracterizado como uma resposta a uma ameaça, perigo ou perda de controle percebidos. A resposta ao estresse é uma reação inata projetada para proteger o indivíduo, preparando o corpo para lutar ou fugir. Muitos dos efeitos físicos e comportamentais do stress são benéficos a curto prazo, mas tornam-se prejudiciais se o stressor não for removido e a resposta persistir. A resposta ao estresse é caracterizada por uma mudança completa na forma como o corpo funciona. Quando o corpo percebe uma ameaça, o sistema nervoso autônomo ativa o sistema nervoso simpático. O sistema nervoso simpático é responsável pela resposta de luta ou fuga, que se caracteriza pela liberação de hormônios que desencadeiam uma série de mudanças físicas. Essas alterações incluem aumento da frequência cardíaca, pressão arterial e respiração, bem como aumento do açúcar no sangue e supressão do sistema imunológico.

Os gatos, ao contrário de outros animais de estimação, muitas vezes não expressam seus sentimentos externamente; em vez disso, ficam em silêncio e recuam quando se sentem ansiosos. Às vezes, os gatos se escondem quando se sentem ansiosos ou estressados. Essa é a maneira deles de lidar com a situação e tentar se sentir seguros. Se o seu gato está se escondendo mais do que o normal, pode ser um sinal de que ele está ansioso ou estressado. Tente fornecer-lhes um lugar seguro e tranquilo para se esconderem e evite perturbá-los enquanto estiverem escondidos. Os proprietários precisam estar atentos aos sintomas de estresse para poder ajudar seus gatos. Os gatos podem ficar facilmente estressados com ruídos altos e pessoas se movimentando em seu ambiente. Se você notar que seu gato está se escondendo muito ou não brincando e se cuidando tanto quanto de costume, ele pode estar passando por estresse.

O corpo de um gato possui vários mecanismos fisiológicos que controlam o estresse. Por exemplo, a glândula adrenal produz o hormônio cortisol em resposta ao estresse. O cortisol regula a resposta do corpo ao estresse e pode ajudar o corpo a se recuperar do estresse. O sistema nervoso também desempenha um papel na resposta ao estresse. O sistema nervoso simpático é responsável pela resposta de “lutar ou fugir” do corpo. Esta resposta é um mecanismo de sobrevivência que ajuda o corpo a lidar com situações perigosas. Quando o corpo está sob estresse, o sistema nervoso simpático aumenta a frequência cardíaca e a pressão arterial e diminui o fluxo sanguíneo para o sistema digestivo. O sistema nervoso parassimpático é responsável pela resposta de “descanso e digestão” do corpo. Essa resposta ajuda o corpo a se recuperar do estresse e a retornar a um estado de relaxamento. O sistema endócrino também desempenha um papel no estresse. O hipotálamo é uma parte do cérebro que controla o sistema endócrino. O hipotálamo é responsável pela liberação de hormônios que controlam a resposta do corpo ao estresse. Existem vários tipos diferentes de estresse. O estresse agudo é uma resposta ao estresse de curto prazo que ocorre em resposta a um evento específico. Esse tipo de estresse normalmente não é prejudicial e pode até ser benéfico, pois pode ajudar o corpo a lidar com uma situação perigosa.

pt_PTPT

Pin It on Pinterest

O Que Nossos Clientes Dizem
131 avaliações